sábado, julho 01, 2017

Lançado à Presidência, Alvaro Dias convoca sociedade para impedir que roubem também o sonho de mudar o Brasil

O senador paranaense, Alvaro Dias, foi lançado neste sábado, em Brasília, candidato à Presidência da República pelo Podemos. O anúncio foi feito pela deputada federal, Renata Abreu, presidente do partido, em solenidade no Centro de Convenções Ulisses Guimarães e na presença de mais de duas mil pessoas, entre elas prefeitos e deputados que se filiaram à nova agremiação que substitui o antigo PTN. Impedido de comparecer, o senador Romário Faria encaminhou um vídeo saudando o novo partido e seu colega Alvaro Dias.

Alvaro Dias, em seu discurso, criticou o atual sistema de governo, que chamou de promíscuo e corrupto e que jogou o Brasil e os basileiros na lama. “Temos que ressuscitar a esperança da sociedade para, juntos, lutarmnos por mudanças e abominar os governos envolvidos em escândalos quando, nas filas de hospitais vemos milhares de pessoas pedindo socorro e pais e mães desesperados pedindo por segurança pública, enquanto o país está mergulhado na violência, fruto de uma herança maldita, financiada por governos corruptos”,disse.

Em ato marcado por discursos pesados, principalmente contra o governo, a palavra de ordem era Podemos que, entre outros adjetivos, significa ter força, coragem, capacidade e direito para mudar. A deputada federal, Renata Abreu destacou a história política e pública do senador Alvaro Dias, afirmando que ele tem toda a capacidade de dirigir os destinos da nação.

Dias afirmou que “é preciso fazer uma leitura correta do que vem acontecendo hoje no Brasil, com um governo mergulhado em denúncias de corrupção que joga dinheiro no ralo e deixa de realizar investimentos com vistas ao crescimento, desenvolvimento e melhoria na qualidade de vida dos brasileiros”.

Segundo o senador, o “Podemos é totalmente independente das atuais ideologias partidárias, sem vínculo ideológico, sem extrema direita ou esquerda e vai ser transparente e terá uma interação permanente com a população, ouvindo constantemente sobre os mais variados temas”.

Entre as lideranças políticas que assinaram ficha no Podemos, estava o empresário paranaense, Joel Malucelli, que lembrou a atuação do senador e ex-governador paranaense, o que disse conhecer e honrar com sua amizade por quatro décadas. “Precisamos de um governante com o espírito público e político de Alvaro Dias que, ao longo dos anos se transformou na voz forte do Congresso Nacional no combate à corrupção e as mazelas que nos envergonham como cidadãos”.

O primeiro a falar na solenidade de filiação ao Podemos foi o ex-jogador de futebol profissional, Marcelinho Carioca, ídolo da torcida corinthiana que fez um discurso em defesa do esporte e na valorização dos professores. Depois foi a vez de vários deputados se pronunciarem sobre o novo partido e a liderança do senador Alvaro Dias.

O senador voltou a lembrar sobre o batalhão de desempregados hoje no Brasil que passa de 12 milhões de pessoas. Condenou a herança da dívida que esmaga o povo brasileiro e da política econômica dos governos que sangraram o BNDES financiando ditaduras corruptas e sanguinárias.

Alvaro Dias fez um apelo aos presentes pedindo para que todos ajudem a arrancar o Brasil das mãos sujas que hoje dirigem a nação e pediu apoio às reformas. Por fim, convocou a militância para caminhar com fé em Deus, trabalho, força e esperança para um futuro promissor. “Vamos impedir que nos roubem nossos sonhos e esperanças. Com alma e amor no peito, vamos reconstruir nosso País”, pediu.

Entre os presentes na solenidade, estavam o ex-senador Osmar Dias, ex-prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff, que assinou ficha no Podemos, empresário e líder classista, Coronel Sergio Malucelli, ex-governador Mario Pereira, empresários Hiran Mora Castilho, Alvaro Sheffer,e da Associação dos Advogados da Defensoria Pública de Santa Catarina, Ralphe Zimer Junior, prefeito de Maringá, Ulisses Maia e o embaixador da Ucrânia, Rostyslav Tronenko.

Foco no combate à corrupção

Sobre o Podemos, disse que “trata-se de um partido “moderno, alinhado com causas. Entre elas o combate à corrupção. No campo da economia seremos liberais, até procurando estar em sintonia com a nossa população. Mas muita coisa vai depender do processo de democracia direta”, observou.

Ao criticar os governos anteriores e analisar a atual situação do país, Alvaro Dias disse que, com anos de roubo ao País, a recuperação do Brasil deve ser lenta, mas que é preciso acreditar na força da pressão popular. “O rombo foi grande, mas temos que apostar em uma solução, porque o País saiu da passividade e está mudando, indo às ruas, se manifestando nas redes sociais. E nas eleições de 2018, a grande pergunta aos candidatos deve ser: “onde o senhor estava quando o Brasil estava sendo assaltado? “.

Tragédia moral

Para Alvaro Dias, que colocará seu nome como pré-candidato à Presidência da República, o Podemos é um partido das causas, principalmente as que afligem o povo brasileiro. Um dos mais críticos senadores, Dias é favorável à renúncia do presidente Michel Temer e sustenta que o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva sabia de tudo o que estava ocorrendo na Petrobras sendo, portanto, conivente com o sistema de corrupção que destruiu a maior empresa do País.

O senador disse que o Brasil está vivendo uma tragédia moral e política. Isto porque as providências não foram adotadas e não foram por falta de aviso. Disse, por exemplo, que desde2005 vem apontando desvios e equívocos em relação às ações governamentais, em especiais denúncias de corrupção.

Foi a banalização da corrupção o maior desserviço que se prestou ao povo brasileiro nos últimos anos. A impunidade prevalecendo estimulou a corrupção e alargou as suas consequências. Quantas vezes denunciamos? Infeliz a nação que tem um governo cego diante da realidade dos fatos, lamentou Alvaro Dias.

De acordo com o senador, os escândalos de corrupção hoje revelados e a Operação Lava Jato desvendando os segredos da Petrobras trazem de volta as denúncias que ele fez em 2009. “Não há como se afirmar hoje que não se conhecia a existência de desmandos, de desvios de corrupção na Petrobras. As denúncias foram protocoladas na forma de representação na Procuradoria-Geral da República para que inquéritos pudessem ser instaurados.

Lula, cúmplice da negociata

“Depois, no dia 22 de dezembro de 2012, protocolei, pessoalmente, às vésperas do Natal, representação denunciando a negociata de Pasadena, no Texas. E, em fevereiro de 2013, o inquérito foi instaurado. Portanto, não há como se afirmar que o Presidente da República não sabia da existência de corrupção na Petrobras. Ele foi mais do que informado. O que fica patente é que, além de saber, além de ser cúmplice, foi um artífice exponencial desse escândalo de corrupção na Petrobras”, concluiu o senador Alvaro Dias.

Para justificar suas denúncias que antecedem ao atual governo, o senador paranaense recorda que o ex-presidente Lula não apenas tinha amplo conhecimento da corrupção que acontecia na Petrobras, como ainda atuou para impedir que a CPI instalada no Senado pudesse investigar as denúncias surgidas na época. Disse que houve verdadeira operação de guerra para impedir a instalação daquela CPI.

Segundo Dias, Lula não conseguiu barrar a instalação da CPI, mas depois que a comissão passou a funcionar, ele dominou por completo a CPI, indicando presidente e relator, montando a composição com aliados e impedindo a aprovação de requerimentos de quebra de sigilo bancário, fiscal ou telefônico. O então presidente reuniu líderes no Palácio do Planalto para articular o que se chamou de abafa CPI, impedindo-a de investigar. Portanto, o presidente Lula tinha amplas razões, a seu juízo, para impedir o funcionamento daquela CPI”, afirmou o senador.

“É um escárnio dizer que é impossível governar o Brasil sem o toma-lá-dá-cá. A enorme coalizão articulada pelo ex-presidente Lula deu no que deu. Os brasileiros estão exigindo seriedade e responsabilidade. A grande aliança dos políticos deve ser com a sociedade”, destacou.
Kireeff, projeto inovador

O ex-prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff, que também assinou filiação no Podemos disse: “Estou me engajando a um projeto inovador na política nacional, comprometido com a ruptura de práticas políticas que todos nós não concordamos e não aceitamos mais”.

Sobre a atuação na sigla, Kireeff comentou que vai participar do Diretório Nacional, do Instituto de Estudos Políticos do partido e também da direção estadual, coordenando a construção da legenda no estado.“Quanto a uma possível candidatura ao governo do estado ou a outro cargo, poderá ocorrer se houver uma convocação por parte da direção nacional do Podemos mais adiante”, afirmou.

O candidato certo
Pelo atual quadro de candidatos que se apresenta, principalmente na mídia, entre eles, Jair Bolsonaro, Marina Silva, Geraldo Alkmin e Lula, “não tenho dúvidas de que há grandes possibilidades de o senador Alvaro Dias vir a comandar os destinos da nação. O senador, além de bom gestor público é, também, um político que vem se destacando ao longo dos anos no Congresso Nacional, com postura crítica em relação a gestões governamentais tristes e vergonhosas”. A afirmação é do empresário e suplente de senador, Joel Malucelli.

Malucelli sabe que, em um primeiro momento, o nome de Alvaro Dias não terá grande destaque nas pesquisas, mas acredita que, na condução do processo, a sociedade brasileira saberá quem é o senador e seu trabalho no Congresso Nacional. “Para nós, paranaenses, esta é a primeira e grande oportunidade de se eleger um paranaense presidente da República”, disse. O empresário também se filiou no Podemos por entender que se trata de um novo projeto e um novo jeito de se fazer política, com o foco nas causas nacionais e na interação com o povo.

Presente à solenidades de assinatura da ficha do senador no Podemos, o empresário e presidente do Grupo Santa Rita, de Maringá, Hiran Alencar Mora Castilho, disse que em um momento tão inusitado que vive o Brasil, “nós temos a oportunidade de reunir pessoas que tem história política com interesses voltados para a sociedade, como o senador Alvaro Dias e do empresário paranaense, Joel Malucelli, que, estão dispostos, de forma altruísta a contribuir e ajudar a solucionar um problema tão grave que o país vive que é a ausência de propostas ideológicas”.

Segundo o empresário maringaense, a contribuição do senador Alvaro Dias poderá “nortear a nossa nação para um futuro promissor e digno, de acordo com a grandeza e a riqueza que representa o Brasil. Nós temos, nesta oportunidade, uma luz que se acende voltada para a transformação que busca um crescimento sustentado e que o país volte a ser pujante como a sua natureza e sua gente e seu povo merece”.

O líder empresarial e presidente da Federação das Empresas de Transportes de Cargas do Paraná, Sergio Malucelli, destacou a atuação do senador Alvaro Dias como governador do Paraná, onde priorizou a indústria e a agricultura, além de dotar o Estado de infraestrutura rodoviária, com a geração de renda e emprego. “É um excelente nome para a Presidência da República, principalmente pela sua conduta decente, ficha limpa e crítico em relação aos governos que afundaram o país. No Senado é uma das principais vozes no combate à corrupção, observou Malucelli.

Malucelli disse ainda que o Senador Álvaro Dias tem se tornado uma liderança política na condução de projetos de interesses da nação e nas denúncias de falcatruas como as que aniquilaram a Petrobrás e o desfalque no BNDES. “Observamos, diariamente, suas declarações condenando os gestores que levaram o Brasil a enfrentar uma de suas maiores crises da história. Por isso, acredito que Álvaro Dias, na Presidência da República, teremos esperanças de ver a transformação que esta nação precisa fazer para melhorar a qualidade de vida da população e resgatar a credibilidade internacional que traz investimentos e geração de empregos”.

Perfil político


Ao colocar seu nome para disputar a Presidência da República, o senador paranaense coloca em destaque sua biografia política que começou em Londrina, onde iniciou a carreira como vereador passadno, em seguida, a deputado estadual. Como deputado federal, Dias obteve a maior votação proporcional da história do Paraná e foi reeleito com a maior votação do Estado. Em 1983 foi eleito senador e depois eleito governador do Estado com 72% dos votos válidos. Assumiu o governo em 15 de março de 87 e foi apontado como o melhor governador do Brasil. Em 1996 presidiu a Telepar e voltou ao Senado em 1999 com 65% dos votos. Em 2014, em seu quarto mandato como Senador, Alvaro Dias obteve mais de quatro milhões de votos
.

Nenhum comentário: