quarta-feira, julho 05, 2017

Policiais e Bombeiros militares estiveram reunidos em Curitiba na Sede da AVM (Associação de Vila Militar) para debater melhorias

Coronel Carlos Eduardo Rodrigues Assunção
Policiais e Bombeiros militares estiveram reunidos em Curitiba na Sede da AVM (Associação de Vila Militar) para debater melhorias na carreira dos praças da PMPR, algo nunca visto na história. 

Gloriosa Policia Militar
O Cabo Carlos prega o diálogo, o respeito as autoridades constituída por Deus, que toda a autoridade é constituída por Deus, e, mesmo recebendo nãos, jamais a desrespeitará. Está unido a tropa e pedindo melhorias ao chefe do poder executivo, e aos superiores, que só assim alcançaremos a união e o avanço da nossa nação, que tanto sofre e clama por socorro. Ainda enfatiza que cada policial é uma autoridade constituída por Deus, e assim merecem o respeito de toda a população, mas, para tal, precisamos ser técnicos, competentes e respeitar o próximo e sempre exercer nosso trabalho com profissionalismo e ética.

Na manhã do dia (04/07/17), Policiais e Bombeiros militares estiveram reunidos em Curitiba na Sede da AVM, para tratar de um assunto que vem sendo debatido e comentado em todo Território Nacional, melhorias para estes nobres trabalhadores que por diversas vezes são criticados por exercerem o seu dever, que por vezes são criticados duramente pela imprensa e pela sociedade, por, em algumas situações, precisa revidar uma injusta agressão ou precisa fazer o uso da força necessária para controlar um contraventor.

Um exemplo claro da importância desses bravos guerreiros pode ser notado durante a greve da Polícia do Espírito Santo, onde o estado foi tomado pelo CAOS.


Desta vez a busca por essas melhorias deu-se pela luta do Cabo Carlos Souza, do Corpo de Bombeiros, que tem liderado a maioria dos praças do estado, que reúne cerca de 20 mil e 500 adepto em sua página Praças Unidos, grupo fechado para Praças PM/BM. que unem todos sem individualismo e sim trabalho em prol do coletivo, do Estado e da População, lutando para conseguir um plano de carreira para esses homens e mulheres, policiais e bombeiros militares, que diariamente, diuturnamente, arriscam suas vidas para salvaguardar as vidas alheias.

Segundo a categoria de Policiais e Bombeiros denominada “praças” (soldados, cabos, sargentos e subtenentes), este plano de carreira é necessário, pois a PMPR já completa 163 anos de existência, e, ainda hoje, as promoções na carreira são feitas por meio de concurso interno, no entanto, a carreira dos oficiais é automática sem concursos internos e sem cursos para postos superiores, e os demais estados da federação já contam com promoções automáticas para todos os postos e graduações, o mundo avançou e os praças da PMPR não, a promoção seria uma forma de reconhecimento do Estado pelos serviços prestados e pelos esforços diário, pois como sabemos, diariamente Policiais e Bombeiros saem de casa para trabalhar sem a certeza de voltarem.

Cabo Carlos / Corpo de Bombeiros
O Cabo Carlos, como é chamado, juntamente com sua equipe, vem travando um embate duro, iniciou com certa resistência, mas hoje tem o apoio do Comado da Polícia e do Chefe da Casa Civil, Deputado Valdir Rossoni. Vale destacar que é um desejo de toda a classe de praças do Paraná. Salientando que não estão pedindo aumento salarial, não estão reivindicam abertura de vagas, e sim a mudança de conceito, trazendo eficiência ao estado e valorização dos profissionais da segurança pública, por antiguidade (tempo de serviço )e merecimento (conhecimento, especialização), como acontece com todos os funcionários públicos deste estado, com excessão dos soldados e cabos.

A categoria não pede por regalias, como, maliciosamente, tentam divulgar, mas sim por um plano de carreia justo.

Ainda na data de hoje as 16 hrs, o estudo feito pelo Cabo e por sua equipe foi apresentado ao Comitê de Política Salarial do Governo, e agora o próximo passo será a avaliação do projeto pelo Estado. 


Estiveram junto com o Cabo e sua equipe, apresentando a proposta ao Governo a Cel. Aparecida (AVM) e Cap Goulart (ASSOFEPAR). Centenas de PMs E BMs, de todo o estado, estiveram reunidos na manhã de 04/07/17 no auditório da AVM, em Curitiba, para conhecer e debater o plano de carreira dos cabos e soldados da Polícia Militar do Paraná. 
Os estudos contemplam as reivindicações históricas dos praças da PM e estão sendo desenvolvidos pela comissão composta pela Coronel Rita Aparecida de Oliveira, pelo Capitão Ronaldo Carlos Goulart e pelo Cabo Carlos Souza. O objetivo é que, até o final do ano, este assunto seja regulamentado e que os cabos e soldados alcancem, dentro dos critérios estabelecidos, suas promoções e graduação imediata.
O encontro na AVM tem a presença de representantes dos militares de todo o estado, além de vereadores e prefeitos PMs e BMs (40) militares praças eleitos no ano passado.

Militares lotaram o auditório da AVM em Curitiba, durante toda a manhã, para debater o projeto, que propõe uma evolução na carreira à semelhança do plano dos oficiais PMs, baseado em antiguidade e formação profissional. A tarde, a proposta foi apresentada oficialmente ao Comitê de Política Salarial do governo do estado. O documento foi entregue ao chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e a expectativa é de que o governo atenda as reivindicações da categoria ainda neste ano. 

“O plano de carreira para os praças trará vantagens para toda a população paranaense, pois um profissional de segurança pública valorizado executará seu trabalho com maior satisfação, beneficiando a todos. O plano de carreira não representa gastos para o estado. Ao contrário, ele gera economia. Hoje nós temos os concursos internos em que o governo gasta quase R$ 14 milhões para formar 600 sargentos e cabos. O deslocamento dos militares para os cursos na capital acarreta a falta de efetivo nos batalhões. Nós propomos a carreira automática, em que o sargento fará o curso e as capacitações técnicas em sua própria cidade e ainda poderá atender o seu batalhão e a população local. A maioria dos estados da federação já fazem isso. Nós estamos atrasados. Não estamos pedindo aumento de salário, não estamos pedindo mais vagas, apenas queremos apenas a carreira automática”, explica o Cabo Sebastião Carlos de Souza, líder do grupo que reivindica o plano de carreira para os praças.

Segundo ele, esses avanços podem ser concretizados agora, com a acolhida que o projeto vem recebendo por parte do governador Beto Richa, por meio do Chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni.


Amplo apoio

Além do Cabo Carlos, palestraram sobre o tema no encontro da AVM o Coronel Carlos Eduardo Rodrigues Assunção, do gabinete de relações institucionais da PMPR; a Coronel Rita Aparecida de Oliveira, representando a AVM; o Capitão Ronaldo Carlos Goulart, representando a Assofepar; o Capitão Henrique Ribeiro; o vereador Sargento Almires Bugay Filho, presidente da câmara municipal de União da Vitória, que representou todos os 40 militares Praças, eleitos no ano de 2016.

“Nós estivemos à frente na questão da reforma da previdência e obtivemos sucesso. Também trabalhamos em diversas outras legislações em que conseguimos evitar prejuízos aos policiais militares e à nossa corporação. Em relação a carreira dos praças, o Comando Geral da PMPR apoia essa bandeira, pois entende justa a possibilidade de progressão ao cabo e ao soldado além do concurso, para que eles também concorram por critérios de merecimento e antiguidade à graduação subsequente”, declarou o Coronel Carlos Eduardo Rodrigues Assunção, do gabinete de relações institucionais da PMPR.



Valorização

Em sua palestra sobre o plano, o Capitão Henrique Ribeiro destacou os aspectos técnicos da legislação: “Nós damos ao artigo 44 da Lei n.° 15946, de 2008, que refere-se à promoção dos praças, uma nova redação, definindo que o Cabo, o 2.° e o 3° Sargentos – desde que tenham 31 anos de serviço para todos os efeitos legais, no período de seis meses antes de compulsoriar, por idade ou tempo de serviço – serão promovidos à graduação imediata. Assim, os Cabos, que vão para a reserva aos 54 anos, são promovidos automaticamente a 3.° Sargento seis meses antes de compulsoriar. E o 3.° Sargento, que vai para reserva apenas aos 56 anos, será promovido a 2.° Sargento seis meses antes.”

“A nossa maior intenção é provar ao estado que além de valorizar o profissional ele irá gerar economia aos cofres públicos”, destacou o Soldado RR Kleber Machado, vereador do município de Ibiporã. Outro vereador, o Cabo RR Valdir Hermes da Silva, de Engenheiro Beltrão, comentou que “o projeto é de fundamental importância, por tratar-se de uma solução para o governo do Estado do Paraná."

Nenhum comentário: