terça-feira, junho 06, 2017

Nova Laranjeiras:Vigilância Sanitária alerta para ocorrência de lagartas TATURANA (Lonomia sp.) no Município

Na manhã da última sexta-feira (dia 02-06), o técnico da Vigilância Sanitária Álvaro de Oliveira Branco e o Agente de Endemias Claudinei Cavasotto, se deslocaram até uma propriedade rural na comunidade do Rio Bananas em atendimento à ocorrência de lagartas Lonomia Sp. (taturana).  Os proprietários ao realizarem uma limpeza no quintal, localizaram os animais no tronco de uma árvore conhecida popularmente como pau-amargo, na sequência ligaram para a Prefeitura avisando da ocorrência. Foi então realizada busca ativa e foram encontrados quatro animais, que foram capturados e levados até a unidade de Vigilância Sanitária municipal, onde os Animais devem ser acondicionados para envio para Guarapuava e posteriormente Curitiba, para os procedimentos técnicos. Antes do envio os animais são fotografados e registrados no Sistema Sinap (Sistema de Notificação de Animais Peçonhentos), onde passam pela identificação e emissão de laudo técnico.
Não houve acidente nesta ocasião, mas foi orientada a população que quando encontrarem lonomias, avisem o Departamento de Vigilância Sanitária para o manejo correto e seguro com equipamentos adequados, pelo risco que este animal representa.


Nesta mesma propriedade já foram registradas outras duas ocorrências, sendo que a primeira foi no ano de 2013, quando uma filha dos proprietários teve um leve contato com os animais que estavam no tronco próximo a um portão, imediatamente encaminhado à unidade de saúde, recebeu o soro anti-lonômico, ficou em observação e como melhorou logo recebeu alta. Desde então a Secretaria de Saúde faz o monitoramento, busca ativa e trabalho de orientação em todo o Município.


Além da comunidade do Rio Bananas, na comunidade do Xagu 2 também há uma área de monitoramento de taturanas. Na sede do município foram encontrados os adultos (mariposas), no ano de 2015 foi capturado um casal de Lonomias e no ano de 2017 dois machos, mas as lagartas não foram localizadas. Como qualquer outro tipo de lagarta ou mandorová, passa por um ciclo sendo que o adulto (mariposa) deposita os ovos na planta hospedeira, nasce a lagarta se alimenta da planta, à noite se alimenta e de dia permanece agrupada no tronco (onde geralmente ocorrem os acidentes), depois de atingir aproximadamente 7 cm de comprimento, desce da árvore e se enterra em meio as folhas no solo, forma a pupa (casulo), passado o tempo necessário rompe a pupa e sai a mariposa (não oferece risco de acidente).
A Lagarta-taturana (Lonomia Sp.), é um animal de importância médica, pois esta classificada com o grau de risco (A), ou seja, pode causar acidentes leves, moderados e graves, dependendo do contato.


SINTOMAS: Imediatamente após o contato da pele com os espinhos da lagarta, a pessoa apresenta dor em queimação intensa, irradiada para a raiz do membro, eventualmente acompanhada de prurido (coceira). Edema (inchaço) e eritema (vermelhidão) podem aparecer. Nas primeiras 24 horas a lesão pode evoluir com vesículas e raramente com bolhas e necrose. Frequentemente se observa infartamento ganglionar regional. Estes sintomas regridem num período de 24 a 48h. Nas primeiras 24 horas podem aparecer sinais hemorrágicos como equimoses (manchas na pele), principalmente em locais de contusões; sangramento das gengivas, epistaxe (sangramento do nariz), sangramentos em ferimentos recentes e nos casos mais graves, náuseas, dor de cabeça, artralgias (dor articular, dor abdominal). 
As manifestações sistêmicas graves podem ser hematúria (sangue na urina) micro ou macroscópica; hematêmese, melena, hemorragias intra-articulares, abdominais (intra e extraperitoniais), pulmonares, glandulares (tireoide, glândulas salivares); Hemorragia intraparenquimatosa cerebral – (rara, porém associada a complicações e ÓBITO). Ou seja, se não buscar ajuda médica pode matar.
TRATAMENTO: O tratamento local é sintomático, como no erucismo por outras lagartas. Os casos devem ser estadiados conforme a gravidade – ver quadro anexo – e o tratamento específico instituído o mais precocemente possível – (Soro Antolonomico), com internamento do paciente e atenção às manifestações sistêmicas e complicações, especialmente as hemorragias maciças e insuficiência renal aguda.


A população que quiser mais informações entre em contato com a Vigilância Sanitária do Município de Nova Laranjeiras por meio do telefone (042) 3637 1210.

Nenhum comentário: