terça-feira, maio 23, 2017

Medicina na Unicentro será debatida em audiência pública

A implantação do curso de Medicina na Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) volta à pauta dos debates, não apenas em Guarapuava, mas também na região. Visitas à prefeituras e câmaras da região estão mobilizando lideranças para uma audiência pública no dia 08 de junho, no Legislativo Municipal em Guarapuava.
Uma das primeiras cidades que recebeu a comitiva da Unicentro foi Campina do Simão, a 70 quilômetros de Guarapuava. A conversa foi com o prefeito, Emilio Altemiro Lazzaretti, e com os vereadores na Câmara Municipal. Segundo o presidente da Câmara, Luiz Expedito Frigo, “nós estamos precisando bastante de médicos e tendo esse curso, com certeza, nós vamos ter mais médicos na nossa região. Assim, eu vejo com muita importância a mobilização, pois através do povo, da presença popular, o Governo vai ver que é preciso e que nós queremos mesmo isso”, defendeu.
A decisão de montar grupos que buscam mobilizar os municípios da região de Guarapuava foi tomada após pronunciamento do reitor Aldo Bona, na Câmara de Guarapuava, na noite de 17 de abril, a convite da vereadora Maria José Mandu Ribas.
Nessa noite também ficou decidida a realização de uma audiência pública em 8 de junho, também no Legislativo Municipal. De acordo com o pró-reitor de Planejamento, Gilberto Franco de Souza, em razão da Audiência Pública os grupos estão indo à prefeituras e câmaras municipais para esclarecer e difundir a oferta do curso de Medicina na Unicentro.
De acordo com o reitor, o processo para a implantação do está na Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), aguardando sinalização positiva do governador Beto Richa para que passe a tramitar no Conselho Nacional de Saúde e no Conselho Estadual de Educação
Porém, segundo o reitor, para a implantação e funcionamento do curso de Medicina, o Ato de Autorização do governador deve vir acompanhado de outras autorizações, como a liberação para a contratação de pessoal e de aporte de recursos de custeio no orçamento geral da Universidade. “Sem isso, a Unicentro, com a sua realidade atual, não tem condições de dar início ao funcionamento desse curso”, reforçou Aldo.
Aldo Bona, entretanto, diz que a implantação do curso de Medicina na Unicentro, em conjunto com a oferta da Faculdade Campo Real e com a abertura do Hospital Regional de Guarapuava, representará a consolidação de “um novo ciclo de desenvolvimento local e regional e a consolidação de Guarapuava como um centro de atenção à saúde de toda a região”.

Nenhum comentário: