sexta-feira, maio 05, 2017

Palmas:Audiências do PPA e da LDO reforçam o Palmas para todos

A série de de audiências do Plano Plurianual (PPA) 2018-2021 e da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) reforçaram o lema da gestão atual de garantir uma Palmas para todos. Nas reuniões, foram apresentadas as prioridades do próximo exercício financeiro e a população teve oportunidade de dar sugestões e sanar dúvidas relacionadas aos serviços disponibilizados pelo Poder Executivo.
O prefeito Dr. Kosmos Nicolaou participou da abertura da primeira audiência, na manhã de quarta-feira (03) no Centro da Juventude localizado na Hípica, na região do Lagoão, bairro com maior densidade populacional de Palmas. As demais audiências aconteceram respectivamente no SindiServim, no bairro Santuário e na Câmara de Vereadores, no centro da cidade.

"A nossa gestão tem um lema, 'Palmas Para Todos', que significa que vamos investir nas pessoas, naquele cidadão palmense que precisa muito da Prefeitura", ressaltou Dr. Kosmos. Para a região, o prefeito anunciou a construção de um complexo incluindo quadra esportiva e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), uma extensão da Escola Pública Nascer para Arte e estudos de viabilidade para construção da sede do SESI.

Dr. Kosmos adiantou que, em relação à UPA, deverá se reunir com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, nos próximos dias para bater o martelo. "Queremos dar o atendimento na saúde que as pessoas precisam", concluiu.

Projeções
O diretor de Planejamento, Aloisio Nascimento, destacou que as audiências estão previstas na Constituição e servem como base para discutir com a população as prioridades do município. "Palmas tem uma população acima de 48 mil habitantes, sendo que mais de 90% deste total reside na área urbana", informou.

"E é dentro desta realidade que vamos projetar o orçamento do município para 2018 e as prioridades até 2021", concluiu Nascimento. O diretor de Contabilidade, Ezequiel Heckler Goulart, detalhou os dados relacionados à arrecadação e à previsão de gastos para o próximo exercício financeiro. Segundo ele, a expectativa de arrecadação é de aproximadamente R$ 140 milhões em 2018.

"A Prefeitura e seus órgãos não poderão gastar acima daquilo que for arrecadado. É preciso observar com muito cuidado o que está previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)", disse. De todo montante que fora arrecadado, 40% já estão comprometidos constitucionalmente - 25% para Educação e 15% para saúde.

As maiores fontes de arrecadação da Prefeitura, segundo Ezequiel, são o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), em primeiro e o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). As audiências contaram com representantes da OAB, da Câmara de Vereadores, do Bradesco, igreja, imprensa e outras entidades da sociedade civil organizada.


Via assessoria.

Nenhum comentário: