domingo, novembro 30, 2014

Laranjeiras do Sul:Colisão entre Gol e Fiesta na Avenida Dr.Carmosino Veira, uma pessoa foi encaminhado ao Hospital




Era aproximadamente 16  horas e 15 minutos quando ocorreu um acidente de trânsito na Avenida Dr.Carmosino Vieira, na esquina do Ginásio Laranjão.

Segundo informações "extra-oficiais" o Veículo Fiesta trafegava pela avenida sentido centro -bairro e foi fazer  o retorno na esquina do Ginásio, neste momento o veículo Gol que trafegava na mesma avenida mas em sentido contrário veio a colidir, do acidente danos materiais de média monta.

Siate em ação

O Siate foi acionado para atender a ocorrência, no local uma senhora que era passageira do veículo Fiesta e que recentemente fez uma cirurgia delicada esta com a pressão muito alta, os socorristas encaminham ela para o Hospital para ser medicada.

A Gloriosa Policia Militar esteve no local e orientou as partes.


Laranjeiras do Sul:Desfile Cívico foi o maior e o mais organizado dos últimos 10 anos



68 anos

O Desfile Cívico realizado neste domingo (30) em comemoração aos 68 anos de emancipação Política de Laranjeiras do Sul foi com certeza o maior e mais organizado dos últimos 10 anos, teve como uma das maiores avaliações o cronograma cumprido, iniciando no horário certo, e com 2 horas e meia de duração, eram 11 e 30 da manhã e todos já havia desfilado, a organização no popular dito "matou a cobra e mostrou o pau" . 


As escolas desfilaram com seu efetivo de professores e alunos, e mesmo sem ensaios coletivos mostraram que o trabalhos feitos pelos Professores superou a média no desfile, foi de alto nível.

As empresa e comércios de Laranjeiras do Sul também deram sua contribuição, pois além de gerarem emprego e renda participaram do desfile dos 68 anos de Laranjeiras do Sul.

Corpo de Bombeiros (Civil e Militar), Policia Militar e Policia Civil também participaram do desfile, com suas viaturas e descendo a avenida Xv de Novembro abrilhantaram o desfile ao toque de suas sirenes e giroflex.

Bandas e fanfarras e carros de som deram as suas contribuições ao longo do desfile, com seus ritmos e musicas alegraram o desfile.

Universidades e Faculdades abrilhantaram a avenida, mostrando força e união vieram para a avenida com grande efetivos de alunos e professores, mostrando o espírito de participação.

Na palanque principal, outro fator positivo, nada de discursos políticos longos, poucas falas, mas porém objetivas, pois o objetivo principal era o desfile cívico.

Matéria completa em instantes


Fotos


Vejam todas as fotos nos links a seguir (parte 1) https://www.facebook.com/cesar.minotto/media_set?set=a.719490411491305.1073741900.100002910585661&type=3


Parte 2 https://www.facebook.com/cesar.minotto/media_set?set=a.719613918145621.1073741902.100002910585661&type=3&uploaded=10


Vídeos


Em instantes todos os vídeos 


Leia abaixo matéria relacionada

Laranjeiras do Sul:Parabéns Laranjeiras do Sul pelos 68 anos!!!

http://olhoabertopr.blogspot.com.br/2014/11/laranjeiras-do-sulparabens-laranjeiras.html

Laranjeiras do Sul:Festa dos anos 60,70 e 80 foi uma "Festa do Arromba" no Oba-Oba






Quem não foi perdeu uma das melhores festas dos últimos tempos em Laranjeiras do Sul ,a festa dos anos 60,70 e 80 promovida pelo C.A.AL.S foi um sucesso.. como diria o Erasmo Carlos.. foi uma festa do arromba... muita gente caracterizada e animados... e ao som a Banda Mobidick rolou animação até a madrugada deste domingo!!!

Vejam mais fotos do evento no link a seguir https://www.facebook.com/cesar.minotto/media_set?set=a.719588934814786.1073741901.100002910585661&type=3

Laranjeiras do Sul:Morador de rua foi covardemente agredido por jovens delinquentes, fato aconteceu no centro da cidade




Eram aproximadamente 2 horas da madrugada deste domingo (30) quando a Gloriosa Policia Militar recebeu a informação que um homem teria sido agredido na Praça Nogueira do Amaral, centro de Laranjeiras do Sul.

Segundo Sr.Nivaldo, 59 anos, ele estava pernoitando em um dos bancos da praça quando foi surpreendido por vários chutes e socos, as informações dão conta que eram rapazes e moças desferindo as agressões, e que os carros usados por eles eram de cor vermelha e outro de co branca, podendo ser um veiculo gol e um kadett branco.

Sr.Nivaldo foi encaminhado ao Hospital São Lucas para receber atendimento médico.

A Gloriosa Policia Militar fez patrulhamentos e abordagens na tentativa de localizar os agressores, porém Sr. Nivaldo não reconheceu nenhum dos agressores abordados.

Laranjeiras do Sul:Parabéns Laranjeiras do Sul pelos 68 anos!!!

Foto aérea de Laranjeiras do Sul / arquivo olho aberto
Laranjeiras.. Laranjeiras do Sul terra adorada e querida... Parabéns Laranjeiras do Sul pelos seus 68 anos de emancipação política, pelos seus 68 anos de desenvolvimento e sucesso, parabéns Laranjeiras do Sul pelo povo ordeiro, respeitoso e acolhedor, Parabéns!!!
A Prefeitura Municipal de Laranjeiras do Sul sob o comando da Prefeita Sirlene Svartz organizou desde o dia 23 um cronograma comemorativo dos 68 anos do município, Missa de ação de Graças, Feira de artesanato, Encontro de carros antigos, e o encerramento das festividades acontece neste domingo (30) com o tradicional Desfile Cívico pela manhã e a tarde no parque do lago a tarde de talentos, com muita diversão, jogos e brincadeiras , além do encerramento do 7º encontro de auto antigos.

Neste domingo, dia 30 , comemoramos os 68 anos de Laranjeiras do Sul, e a festa é para todos os municipes, participem!!

Abaixo uma viagem aérea pelos céus de Laranjeiras do Sul



Abaixo o Hino de Laranjeiras do Sul


Abaixo vamos relembrar em 3 vídeos, a comemoração do 24º Aniversário de Laranjeiras do Sul, em 1970.

Laranjeiras do Sul - 24º Aniversário 1970 - filmado em 8mm Parte 1



Laranjeiras do Sul - 24º Aniversário 1970 - filmado em 8mm Parte 2


Laranjeiras do Sul - 24º Aniversário 1970 - filmado em 8mm Parte 3 




Reportagem:Minotto

sábado, novembro 29, 2014

Laranjeiras do Sul:Jovem levou vários socos no início da madrugada nas proximidades da distribuidora de bebidas... Gloriosa Policia Militar atendeu a ocorrência

VIAS DE FATO

O solicitante (adolescente de 17 anos) relatou que por volta das 00h: 05min estava na Rua Marechal Candido Rondon, nas proximidades da distribuidora de bebidas do Rodolfo, quando foi agredido por uma pessoa com socos na cabeça. 

Que não sabe as razões de tais agressões e que não é a primeira vez que é agredido.

A equipe efetuou patrulhamentos, porém o agressor não foi localizado, o adolescente foi orientado a procurar o hospital para ser atendido, pois sentia dores na cabeça e também a procurar a 2ª sdp para demais procedimentos.

Sd QPM 1- 0 Elenir Navarro
Plantão COPOM 2ºCia/16º BPM/4º CRPM

A face tucana do PT

Para tirar o País da recessão e disciplinar as contas públicas, a presidente Dilma adota o receituário do PSDB, que tanto criticou na campanha, e anuncia uma composição ministerial com jeito de oposição
Se os símbolos dos partidos políticos retratassem as posições das legendas e dos seus principais representantes, a estrela do PT no segundo mandato de Dilma Rousseff poderia ganhar um bico tucano, símbolo maior do PSDB. Mesmo sob os protestos do seu partido e de aliados fisiológicos, Dilma dá aos primeiros contornos do seu próximo governo uma aparência semelhante ao que seus opositores defenderam durante a eleição. A explicação para a mudança de rumo é simples: a presidente precisa tirar o País do atoleiro em que se encontra. E o sucesso do próximo mandato depende diretamente da retomada do crescimento e do controle dos gastos públicos, que andam desgovernados. Para fazer isso, foi preciso assumir, mesmo que a contragosto, que ela e sua equipe econômica erraram muito nos últimos anos. Ao reconhecer que algumas das propostas defendidas pelo adversário Aécio Neves (PSDB) durante a campanha eram mesmo vitais para a correção de rota, ficou difícil para Dilma fugir de uma composição ministerial com jeito de oposição e se livrar da acusação de ter cometido estelionato eleitoral.

Na última quinta-feira 27, a presidente confirmou as expectativas que rondavam o mercado há algumas semanas e oficializou sua nova equipe econômica. Em uma tentativa de reconstruir suas relações com investidores e grandes empresários, escolheu o economista Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda. O novo ministro é ligado aos tucanos e participou do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Ele defende, sem subterfúgios, rigor no controle fiscal e arrocho das contas públicas, propostas que Dilma demonizou durante a campanha.

As ironias que envolvem a escolha não param por aí. Levy mantém relações próximas com Aécio Neves e segue a mesma linha do amigo Armínio Fraga, o economista que montou o plano de governo da área para o PSDB na última eleição. Durante a campanha, Dilma atribuiu a Fraga uma futura culpa pela recessão ou pela falta de comida e emprego para os brasileiros de baixa renda, em um eventual governo tucano. A opção por um ministro alinhado com o grupo do seu maior adversário causou estranheza. “É uma decisão da presidente. É um quadro qualificado, com quem tenho uma relação pessoal. Mas fico com uma expressão usada hoje pelo ministro Armínio Fraga: a indicação de Joaquim Levy é comparável a um grande quadro da CIA ser convidado para comandar a KGB.”

A inclinação de Dilma em direção às ideias da oposição, que ela combateu durante a campanha, ficou evidente também em relação aos juros. A presidente repetiu diversas vezes que as propostas econômicas do PSDB, e a promessa de perseguir o controle da inflação, iriam causar o aumento dos juros e provocar recessão e desemprego. Seus programas e seus discursos demonstravam que essas propostas estavam distantes dos planos do PT. No dia seguinte ao resultado do segundo turno da eleição, no entanto, ela anunciou o reajuste dos combustíveis. Dois dias depois, o Banco Central aumentou as taxas de juros para 11,25%, o maior patamar em três anos. A decisão pegou o mercado de surpresa e evidenciou quão pouco valiam as promessas eleitorais da presidente.

Embora a repercussão da escolha do novo ministro da Fazenda alinhado com as metas fiscais e o controle das contas desperte certo otimismo, ainda há um clima de desconfiança em relação à postura de Dilma, que sempre tentou comandar a política econômica ditando as regras pessoalmente. Agora, Levy assume com a promessa de independência e carta-branca para tomar o rumo de uma sonhada – e ainda improvável – guinada na economia. Em sua primeira aparição pública depois da confirmação de seu nome, Levy, acompanhado do escolhido para o Planejamento, Nelson Barbosa, e de Alexandre Tombini, que fica no Banco Central, deixou claro que é ortodoxo e que vai trabalhar para restabelecer o superávit primário nas contas públicas e atingir uma economia de 1,2% do PIB em 2015. “Alcançar essas metas será fundamental para um aumento da confiança e criará bases para a retomada do crescimento da economia e da evolução dos avanços sociais”, disse Levy.

Em muitos aspectos manifestados depois do resultado das urnas, a presidente reeleita parece outra pessoa. Antes, ela se armava com números – muitas vezes equivocados – sobre a economia, adotava um discurso repetitivo de que não havia descontrole de gastos e que a inflação a 6,5% estava controlada. Agora, sua nova equipe econômica vai promover cortes, trabalhar para puxar a inflação para a meta de 4,5% e adotar as medidas impopulares que a então candidata tantas vezes, em tom de ameaça de quem previa o caos, disse que seus adversários adotariam. Ao escalar seu time, Dilma mostrou que ficou impossível continuar atuando como a personagem que tem o controle de um País próspero, à imagem e semelhança do que era mostrado nos programas eleitorais elaborados pelo marqueteiro de campanha, João Santana.

As contradições entre o discurso de Dilma e do seu partido e as primeiras medidas que ela adotou depois de eleita despertaram reações em diversos setores que a apoiaram. Um manifesto com mais de 4.500 assinaturas de petistas resume a insatisfação. O texto afirma que é preciso manter a coerência e obedecer ao projeto de governo apresentado durante a eleição. Um dos articuladores do manifesto, o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e conselheiro econômico da presidente Dilma, resume o sentimento de quem assina o documento. “O problema é que o projeto de governo que ganhou não vingou. Então, Dilma terminou comprando a versão da política e da economia que os adversários diziam que era a correta. Não vejo isso como um bom sinal. A sociedade não deve ser surpreendida com mudanças nos programas depois das eleições”, opina o economista.

As recentes decisões da presidente Dilma e suas escolhas afinadas com a cartilha da oposição irritaram petistas de todas as correntes. No partido, o sentimento é de que a presidente que assume o segundo mandato segue com o antigo defeito de não dialogar antes de decidir e ignorar as posições do PT sobre diversos assuntos. A incapacidade da presidente de ouvir aliados foi um dos principais empecilhos para a consolidação de alianças em torno do projeto de reeleição. Dilma sofreu resistências dentro do próprio partido e foi obrigada a prometer uma mudança de postura. Coisa que petistas experientes reclamam que não está acontecendo.

Mesmo diante da insatisfação generalizada, poucos militantes de peso admitem publicamente as críticas que fazem nos bastidores à presidente. Raros são os militantes históricos e influentes que levantam a cabeça para marcar posição de resistência às mudanças do segundo mandato. Ex-dirigente nacional, Valter Pomar é um bom exemplo dessa dualidade. Líder da corrente Articulação de Esquerda, ele assina o manifesto em defesa da coerência da presidente reeleita e do respeito ao programa do partido, mas concede: “Dadas a relação de forças no Congresso, as debilidades da esquerda e dos setores populares, para não falar de certas dificuldades estruturais, sabemos que não há condições de fazermos o governo dos nossos sonhos”, diz Pomar. “O que não pode acontecer é acharmos que esta situação difícil é imutável. Para evitar isso, o governo deve ajudar a democratizar a comunicação, ajudar a luta pela reforma política e fazer tudo o que estiver ao seu alcance para manter e melhorar a vida material e cultural da classe trabalhadora”, acrescenta. Pomar agora tem a expectativa de que, depois da escolha da equipe econômica, Dilma nomeie ministros que sinalizem na direção de suas preocupações.

A revolta dos apoiadores de Dilma com a guinada ensaiada para os próximos meses se espalha por outros setores. Na Agricultura, por exemplo, a presidente promove uma incrível coleção de posições divergentes. Em agosto, quando estava em plena campanha, a então candidata participou de uma sabatina na Confederação Nacional da Agricultura (CNA). Diante de uma plateia lotada de grandes ruralistas e representantes de peso do agronegócio, Dilma não causou entusiasmo com seu discurso. Ela prometeu trabalhar pela “classe média rural” e afirmou que a proposta pleiteada por empresários sobre regulamentação dos contratos terceirizados deveria ser amplamente debatida com trabalhadores. A frieza com que os ruralistas receberam o discurso de Dilma contrastou, dias depois, com o entusiasmo que eles demonstraram na recepção ao candidato Aécio Neves. O tucano foi ovacionado ao defender a proposta de criar um superministério na área e repetir que o agronegócio precisava ter espaço no governo proporcional ao seu tamanho e importância.

Para quem assistiu ao duelo eleitoral, parecia que o cenário era de ideologias partidárias. Dilma, do PT, defendia os ruralistas e suas reivindicações com a cautela de quem representava um partido de esquerda, historicamente ligado a movimentos sociais e às minorias. Às vésperas de anunciar seu novo ministério, o cenário mudou. Dilma se prepara para enfrentar seus aliados e apoiadores por nomear como ministra da Agricultura a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO). A parlamentar é uma grande produtora rural, preside a CNA e é adversária histórica de entidades ambientalistas e dos movimentos sociais que lutam por terras. Ao convidar um símbolo do ruralismo e dos grandes latifúndios, Dilma ignora os apelos do PT e abre espaço para os pleitos da categoria, que antes ela parecia não apoiar. A indicação aumenta, além disso, o clima tenso entre PT e PMDB, que tem na pasta da Agricultura um dos seus feudos e na senadora do Tocantins – neófita no partido – uma concorrente pelo comando da pasta.

Ao se aproximar dos ruralistas nos moldes do que prometeu fazer o PSDB, Dilma deixou em alerta entidades e instituições historicamente aliadas ao PT. Quando percebeu as resistências que se formam nos mais diferentes setores, ela recebeu um grupo de intelectuais no Planalto durante duas horas na semana passada. Ouviu as críticas sem muita paciência, mas prometeu não abandonar as diretrizes que seu partido e aliados defendem. O problema é que a governabilidade construída por ela depende diretamente das forças antagônicas que deram respaldo à sua reeleição. O preço dessas alianças começa a pesar nas costas da presidente e as pressões para manter-se coerente já não surtem efeitos. Ao estilo Dilma, a presidente deixa de lado diretrizes das propostas e das ideias que defendeu ao longo da campanha sem fornecer explicações. Reeleita, dá sinais de que simpatiza com a cartilha tucana – ou de que pelo menos se convenceu de que o receituário do PSDB, tão criticado por ela na campanha, é o melhor caminho agora – e que seu segundo mandato terá menos a cara do PT. A tucanização do PT pode ser a receita para evitar um novo fiasco. O problema é se os próprios eleitores de Dilma começarem a pensar que, se era para copiar o ideário tucano, teria sido melhor ter escolhido o original, e não a imitação. O raciocínio faz todo sentido.


Por Izabelle Torres, na IstoÉ

Nova Laranjeiras:Prefeitura vistoria a construção das cabeceiras em concreto usinado, da ponte que será construída na estrada principal do Rio Bananas

O prefeito de Nova Laranjeiras Lineu Gomes, acompanhado do Vereador Elvio Schafranski e da Vereadora Erna Muller Gomes, estiveram no final da manhã de sexta-feira(28), vistoriando a construção das cabeceiras em concreto usinado, da ponte que será construída na estrada principal do Rio Bananas, próximo a comunidade, onde hoje existe um "bueirão". O Prefeito Lineu, reitera a importância da troca do "bueirão", pela ponte de de concreto. “A nova construção diminuirá a possibilidade de estragos durante o período de cheias – unindo-se assim a segurança, o desenvolvimento e a sustentabilidade. Isso é fundamental”. O vereador Elvio, disse que "é uma obra prioritária para o povo que reside na região do Rio Bananas". Para a vereadora Erna, falou que" a ponte será de qualidade, trazendo mais segurança e garantindo que ela dure por muitos anos, sem precisar de manutenção".

Marquinho:Município recebe caravana do Natal Encantado do Paraná neste domingo (30)

Crianças receberão presentes e a visita do Papai Noel com música, teatro e muita alegria durante o mês de dezembro.
Pelo quarto ano consecutivo a caravana do Natal Encantado do Paraná vai levar o espírito natalino para todo o Estado. Duas caravanas irão percorrer 40 cidades do interior e do litoral levando a magia do natal e muitos presentes na bagagem para a criançada. Com início no dia 29 de novembro, a viagem segue até o dia 21 de dezembro.  
O principal objetivo do Natal Encantado do Paraná é promover a cultura e a solidariedade em comunidades de situação de vulnerabilidade social. Acompanhando o Papai Noel, dois grupos de teatro levarão a magia do Natal para as comunidades. A Trupe Parabolé apresenta o espetáculo “A Caixa do Tempo” e o Grupo Rosy Greca apresenta “Sim, Papai Noel existe”. 
Segundo Carlise Kwiatkowski, presidente do Provopar Estadual, a previsão com as caravanas do Natal Encantado é de atender a cerca de 40 mil crianças com doação de brinquedos. Ainda há tempo para quem quiser doar brinquedos, recursos ou alimentos, basta procurar as agências do Banco do Brasil, prefeituras e as unidades do Provopar. “Essa é uma grande festa e a oportunidade de trazer alegria para quem mais precisa”, afirmou Carlise.  
As caravanas - Partindo de Curitiba, as caravanas farão uma viagem por 20 cidades cada uma. Cada caravana do Natal Encantado do Paraná tem a presença do Papai Noel com o seu baú de brinquedos e apresentação de uma companhia de teatro: Trupe Parabolé e o Grupo Rosy Greca. As crianças de cada cidade que forem até a caravana vão ganhar presentes por meio de distribuição antecipada de senhas.  
A realização do Natal Encantado do Paraná é do Governo do Estado do Paraná, Provopar Estadual (Programa de Voluntariado Paranaense), CANAL/mkt e Ministério da Cultura; com patrocínio do Instituo Renault, Rodonorte, Caminhos do Paraná, Copel, Compagás, Sanepar, Viapar, Triunfo Econorte, Fomento Paraná e Usina Elétrica a Gás de Araucária. O apoio é das empresas Sindafep, Consórcio Servopa, Banco do Brasil, Dunlop, RPCTV, BRDE - Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Cattalini, AERP - Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná, RCI Brasil. O Natal Encantado do Paraná é um projeto incentivado pela Lei Rouanet do Ministério da Cultura.
Música, teatro e circo levam o encanto do Natal para os municípios paranaenses 
As companhias que irão acompanhar o Papai Noel são o Grupo Rosy Greca e o Grupo Parabolé Educação e Cultura (Trupe Parabolé). O primeiro grupo vai apresentar o espetáculo “Sim, Papai Noel Existe”. Com duração de aproximadamente trinta minutos, o Auto de Natal foi especialmente montado para o Natal Encantado com muita música e dança. 
Composto de cinco personagens/bonecões, a história gira em torno da amizade entre o pequeno Nicolau, um menino cheio de fantasia e imaginação, e a menina Virgínia queinfluenciada pela onda consumista, vive o conflito da descrença na figura do Papai Noel. 
Completam a história Rodolfo, a rena do nariz luminoso, o Anjo da Fé, e o próprio Papai Noel. O texto e as músicas são da premiada compositora e artista Rosy Greca e a direção cênica da conceituada dramaturga e diretora teatral, Fátima Ortiz. 
Na outra caravana, da qual o Grupo Parabolé faz parte, o espetáculo apresentado será "A caixa do Tempo".  A Trupe mostra uma família que comemora o aniversário do seu filho que completa seus 18 anos e vai se mudar da casa dos pais. Para a data tão especial, os pais têm uma surpresa: durante toda a vida do menino, eles guardaram suas memórias em uma caixa, sem que ele soubesse.  
O que poderia ser colocado dentro de uma caixa para alguém que está de partida e que remetesse toda sua vida até aquele momento? O público vai se encantar com essa história que fala de amizade, amor e respeito. 

O texto é de Maíra Weber, cenografia de Levi Brandão e figurino Rennan Negrão de Queiroz.
SERVIÇO:
Marquinho - apresentação será DOMINGO (30/11), às 19h30.
LOCAL
: Ginásio João Carlos Baptistel, Rua XV de Novembro s/nº
Grupo de teatro: Trupe Parabolé e VISITA DO PAPAI NOEL.

Confira as cidades que irão receber as caravanas do Natal Encantado 
DATA
CARAVANA 1 – Trupe Parabolé
CARAVANA 2 – Grupo Rosy Greca
29/nov
Mallet
Paranaguá
30/nov
Marquinho 
Sengés
02/dez
Porto Barreiro
Siqueira Campos
03/dez
Bom Jesus do Sul
Cornélio Procópio
04/dez
Capanema
Ibiporã
05/dez
Santa Lúcia
Rolândia
06/dez
Lindoeste
Faxinal
07/dez
São José das Palmeiras
Rio Branco do Ivaí
09/dez
Ubiratã
Rosário do Ivaí
10/dez
Jesuítas
Grandes Rios
11/dez
Jaguapitã
Borrazópolis 
12/dez
Centenário do Sul
Kaloré
13/dez
Lupionópolis
Lidianópolis
14/dez
Cafeara
Jardim Alegre
16/dez
Bela Vista do Paraíso
 Ivaiporã 
17/dez
Alvorada do Sul
Arapuã
18/dez
Cambé
Ariranha do Ivaí
19/dez
Califórnia
Altamira do Paraná
20/dez
Imbituva
Juranda
21/dez
Prudentópolis
Mamborê PR - Curitiba

sexta-feira, novembro 28, 2014

Marquinho:Gloriosa Policia Militar apreende dois jovens com maconha, eles estavam com um veículo Gol de Cascavel

Drogas para consumo pessoal, dirigir sem possuir CNH ou PPD


A equipe em patrulhamento na área central da cidade, quando avistou na Rua Tiradentes o veiculo VW/gol com placas de Cascavel-Pr com dois ocupantes em atitude suspeita, e que ao visualizar a viatura os mesmo mudaram de direção, e se evadiram, foi iniciada a tentativa de aproximação ao veiculo, momento em que adentrou ao pátio de uma residencia que não tem cercas, porem a equipe tinha conhecimento de que os mesmos não eram moradores daquela residencia. Diante disso a equipe realizou a abordagem, em busca pessoal nos ocupantes nada de ilícito foi encontrado, porem no interior do veiculo foi encontrado duas buchas de substancia análoga a maconha, sendo que um dos ocupantes assumiu ser sua as buchas, após consulta nos documentos dos indivíduos foi constatado que o condutor não é habilitado e que o veiculo encontra-se com débitos, diante dos fatos foi lavrado as notificações cabíveis e o veiculo recolhido ao pátio do DPM, os dois ocupantes foram encaminhados até a 2ª SDP para as providencias cabíveis.



Sd. QPMG 1-0 Renato Marcondes Rocha
DPM de Marquinho.

Ações de fiscalização do CREA-PR em concessionárias contribuem para melhorar condições das rodovias do Estado

De acordo com a Pesquisa Confederação Nacional dos Transportes (CNT) de Rodovias 2014 - uma das principais fontes de informação sobre a situação das rodovias pavimentadas do País –, 74,1% das estradas concedidas à iniciativa privada obtiveram classificação ótimo ou bom, apresentando condições melhores que aquelas geridas pelo poder público.
O estudo avaliou mais de 98 mil quilômetros de rodovias, que correspondem a toda a malha federal pavimentada e aos principais trechos estaduais. Praticamente a metade (49,9%) do pavimento apresenta algum tipo de deficiência, sendo classificado como regular, ruim ou péssimo, por apresentar buracos, trincas, afundamentos, ondulações, entre outros problemas. Em relação à superfície do pavimento, 44,7% da extensão pesquisada está desgastada. Também foram verificados problemas na sinalização e na geometria da via pesquisada.
Para o presidente da CNT, Clésio Andrade, de uma maneira geral a situação do sistema rodoviário brasileiro continua grave, comprometendo a segurança das pessoas, tanto de motoristas, quanto de passageiros e pedestres, além da logística, devido ao elevado custo do transporte, tornando o país menos competitivo.
Fiscalização
Para minimizar os problemas verificados nas condições das estradas brasileiras, são necessários pesados investimentos por parte dos governos e das concessionárias de rodovias. O Plano CNT de Transporte e Logística indica a necessidade de R$ 293,88 bilhões somente para o modal rodoviário. Neste ano, o investimento público federal autorizado para as rodovias é de apenas R$ 11,93 bilhões. E, até o dia 30 de agosto, somente R$ 6,54 bilhões (54,8%) tinham sido pagos.
Visando contribuir para ampliar a qualidade da trafegabilidade das rodovias, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR) realiza ações de fiscalização nas empresas que detêm a concessão de trechos da malha rodoviária do Paraná. Os agentes de fiscalização do Conselho verificam se as concessionárias possuem equipe técnica de profissionais, na modalidade de engenharia civil, no acompanhamento de obras de construção e manutenção das rodovias no Estado. Por meio desse trabalho, o Conselho garante ainda a responsabilidade técnica pelos serviços, promove a valorização profissional e reafirma seu compromisso com a sociedade.
Segundo a agente de fiscalização do Departamento de Fiscalização (DEFIS) do CREA-PR, Tatiane Michele da Luz, a mais recente ação foi completada no início desse ano, com a vistoria de mais de 330 serviços nas concessionárias Autopista Planalto Sul, Ecovia, Rodonorte, Caminhos do Paraná, EcoCataratas, Econorte e Viapar e, ainda, na Autopista Litoral Sul e Autopista Régis Bittencourt, sediadas em Santa Catarina e São Paulo, respectivamente, mas que administram trechos de rodovias no Paraná. O CREA-PR verificou a regularidade do registro das empresas envolvidas e o registro das ARTs (Anotação de Responsabilidade Técnica) para os serviços técnicos. A ART é o documento legal e obrigatório que define os responsáveis técnicos pelo serviço realizado.
Constatações
Tatiane destaca que, dentre as principais inconformidades constatadas pelo CREA-PR, em algumas situações, estão a ausência da ART e a falta de registro da empresa contratada. “É essencial que as concessionárias possuam corpo técnico envolvido com o gerenciamento e fiscalização das obras e melhorias necessárias ao sistema viário”, diz o agente de fiscalização Tiago de Souza Godoi Junior. Ele enfatiza ainda que as empresas também devem manter profissionais regularizados exercendo serviços de diversas modalidades como, por exemplo, serviços em pavimentos e obras de arte correntes, instalação e inspeção de sistemas de proteção contra descargas atmosféricas, equipamentos de monitoramento de tráfico, destinação de resíduos sólidos, inventários florestais, estudos de segurança do trabalho, recomposição de revestimento vegetal.
Para ambos os agentes fiscauis, cabe ao CREA-PR a cobrança desses registros, evitando o exercício ilegal da profissão e realizando um trabalho de conscientização junto às concessionárias quanto à importância de contratarem empresas e profissionais devidamente habilitados. “Outro item observado durante as fiscalizações refere-se aos serviços da modalidade engenharia elétrica. Instalação e manutenção de sistemas de monitoramento de eletricidade, de circuito fechado de televisão, cancelas eletrônicas, entre outros, não estavam sendo considerados afetos ao Sistema CONFEA/CREA pelas concessionárias de rodovias, e não estavam tendo suas devidas ARTs emitidas. As empresas contratantes foram orientadas a solicitar ART nestes tipos de serviços”, enfatiza Tiago

Cida e Beto juntos na luta contra o câncer de mama

A deputada federal e vice-governadora eleita, Cida Borghetti (PROS), entregou uma camiseta do Dia Nacional de Luta contra o Câncer de Mama, comemorado quinta-feira, 27 de Novembro, ao governador Beto Richa.

Cida é reconhecida nacionalmente pelo trabalho por mais informação, diagnóstico precoce e melhores tratamentos. Ela é a idealizadora dos modernos Centros de Diagnósticos e Tratamento do Câncer que já estão funcionando em Londrina e Maringá, e em breve em Cascavel.

"O diagnóstico precoce aliado a um tratamento rápido e eficaz são fundamentais para preservar vidas", disse a deputada que participou nesta manhã, ao lado de Beto Richa, da inauguração do Contorno de Mandaguari, na região Norte.

O juiz que sacode o Brasil

Sergio Moro é um dos nomes mais comentados do país desde que prendeu executivos
No topo do caso Petrobras, que investiga o possível desvio organizado de mais de 9 bilhões de reais e está abalando as estruturas institucionais do Brasil, está um juiz federal de 42 anos: Sergio Moro, considerado um dos maiores especialistas em lavagem de dinheiro do país (senão o maior). No último dia 14, ao assinar uma ordem de prisão contra 21 dos membros mais ricos e poderosos do establishment empresarial, ele se tornou também uma das personalidades mais respeitadas e comentadas do país.


Nas ruas de Curitiba, onde o escritório de Moro centraliza as investigações da Operação Lava Jato, o magistrado já é uma figura popular. “Ele é um juiz com impulso, não se detém diante de nada”, afirma o diretor de uma importante emissora local que tenta dissimular seu entusiasmo. Outros jornalistas intervêm para elogiar seu “sentido de justiça”. A crescente reputação de Moro intimida até os advogados de defesa dos 13 empresários ainda presos. “Ele tem muito respaldo na Justiça Federal”, reconhece Pedro Henrique Xavier, advogado da importante construtora Galvão Engenharia SA. Na delegacia da Polícia Federal onde dividem a cela e prestam depoimentos os milionários detidos, os letrados reclamam diariamente porque seus clientes ainda não abandonaram a cadeia. No entanto, seus pedidos de habeas corpus (contra prisões arbitrárias) são sistematicamente negados por outros magistrados. “Ele é um juiz metódico e com muita iniciativa”, admite outro advogado durante um recesso.

Pouco se sabe sobre a vida privada de Sergio Moro que, apesar da sua juventude, é um dos três candidatos a ocupar o lugar deixado por Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal (a máxima autoridade judicial do país) este ano. Casado e com dois filhos, apaixonado por ciclismo, Moro nasceu na cidade paranaense de Maringá, onde estudou direito antes de completar a sua formação na Universidade de Harvard (EUA). Doutor em Direito, juiz desde 1996 e também professor universitário, Moro se especializou em crimes financeiros e cursou um mestrado prático no caso Banestado, um processo judicial desenvolvido entre 2003 e 2007, que levou à condenação de 97 pessoas pelo envio ilegais de divisas ao exterior de vários bancos brasileiros. Um dos condenados foi outro cidadão paranaense chamado Alberto Youssef, doleiro de profissão, transformado hoje um elo crucial no caso da Petrobras.

Existe unanimidade de que o caso Banestado foi o passo final na formação de um juiz “justiceiro”, na opinião de uma fonte policial, que também alcançou alguma reputação acadêmica: seu livro Crimes de Lavagem de Dinheiro (2011) é uma referência nacional na área. Moro colaborou inclusive com a juíza Rosa Weber na fase final do caso mensalão, na época o maior caso de corrupção da história moderna do Brasil. Por tudo isso, a Assembleia Legislativa do estado do Paraná prepara-se para conceder o título de Cidadão Ilustre ao juiz.

A crescente reputação de Moro intimida até os advogados de defesa dos empresários ainda presos

Adjetivos coletados em várias conversas informais com agentes, advogados e estudantes de Curitiba permitem ver um perfil de juiz teimoso, reservado, técnico, frio (embora educado), extremamente competente, razoavelmente distante dos olhares da imprensa e sem medo de enfrentar figurões. Apesar das críticas feitas pelos advogados dos empresários, atua com cautela: na semana passada, quando a Polícia Federal relacionou José Carlos Cosenzo, atual diretor de Abastecimento da Petrobras, com a corrupção, Moro exigiu provas. Horas mais tarde, a pedido do juiz, a polícia enviou uma nota oficial admitindo o “erro” da menção de Cosenzo, que foi amplamente distribuído pela Petrobras.

O expediente Lava Jato cresce à medida que mais acusados (nove, por enquanto) são adicionados ao esquema das delações premiadas, o que espalha o pânico entre empreiteiros, políticos, diretores da Petrobras e até mesmo banqueiros. O trabalho de Moro, de qualquer maneira, tem uma data de validade: o indiciamento provável de políticos (como reconhece abertamente um fiscal relacionado com o caso). É um segredo bem conhecido que a Polícia Federal está tentando atrasar a imputação de políticos (com foro privilegiado), pois implicaria a imediata transferência do caso para o Supremo Tribunal Federal, localizado em Brasília. “Moro vai seguir o rastro do dinheiro, não importa quem atingir”, insiste outro promotor que prefere o anonimato. “O resto não depende mais dele.”

Esta manobra levou a muitas críticas mais menos explícitas de opinólogos e advogados. Os ataques somam-se às censuras feitas por funcionários do PT durante a recente campanha eleitoral por supostos vazamentos com interesses eleitorais. O advogado Alberto Zacharias Toron da construtora UTC argumenta que Moro incorre em uma forma de “extorsão de confissões e delações [...] Quem colabora é liberado. Quem não cooperar tem a prisão preventiva decretada”. Os escritórios de advocacia mais exclusivos do Brasil estão esperando que o juiz cometa um erro grave o suficiente para impedir ou alterar uma causa “que recai sobre a forma de atuação das elites brasileiras”, observa o analista Adriano Pires: “O sistemático de superfaturamento e subornos”.

Em seu já famoso mandado de prisão do último dia 14, o juiz se referia às declarações do presidente, Dilma Rousseff, e seu adversário do PSDB-MG, o senador Aécio Neves, que durante a disputa eleitoral defenderam a continuidade da investigação. Moro escreveu: “As chamadas provenientes de duas das principais autoridades políticas do país, localizadas em campos políticos opostos, confirmam a necessidade de resposta institucional imediata para interromper o ciclo delitivo descoberto pelas investigações criminais, tornando inevitável o remédio amargo, isto é, a prisão preventiva.” Para muitos um herói, para outros um “justiceiro” incômodo, ninguém dúvida já que o juiz Moro poderia mudar para sempre o futuro do Brasil a partir de um escritório em Curitiba.


Do El País